Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Blogue do Centro Nacional de Cultura

Um espaço de encontro e de diálogo, em defesa de uma cultura livre e pluridisciplinar. Estamos certos de que o Centro Nacional de Cultura continuará, como há sete décadas, a dizer que a cultura em Portugal vale a pena!

Blogue do Centro Nacional de Cultura

Um espaço de encontro e de diálogo, em defesa de uma cultura livre e pluridisciplinar. Estamos certos de que o Centro Nacional de Cultura continuará, como há sete décadas, a dizer que a cultura em Portugal vale a pena!

LONDON LETTERS

Two distinctive voices, 2014

And never never do anything eccentric. O mandamento é parcela de uma clássica trilogia local que um e outra jamais terão equacionado sem algures sorrir. Duas figuras icónicas da paisagem pública britânica partem e deixam um palpável sentimento de perda em todos os quadrantes. Ele é um político e diarista e ela é uma master chef e historiadora. — A l'œuvre, on connaît l'artisan! A singularidade de Mr Tony Benn e Mrs Clarissa Dickson Wright leva-os a intenso ativismo pelo direito à tranquilidade. Note-se o Viscount Stansgate patrono da paz com um qualquer cartaz tipo Stop war em rally por Hyde Park-London e eis a filha do Royal surgeon como advogada do countryside style of life com uma espingarda de ilegalizada caça. O efeito igualiza na legião de fãs. —The greatest thoughts come from the heart! Num tempo de frases e gestos resumíveis ao his master’s voice, dois seres autênticos deixam-nos em pleno regresso a new Cold War.

Num dos seus vivíssimos diários, Mr Tony Benn informa do momento em New York quando a capa de uma diretoria telefónica o questiona sobre a formulação do calendário de atividades em 2015, andaria ele então nos seus 90s, para discorrer sobre o leque de alternativas que necessariamente se abre à ação de cada qual além do political digest nas PM Questions ou dos sound-bytes das máquinas partidárias. O quadro ocasional serve ao argumento democrático de um socialista convicto que, desde tenra idade, adota o hábito de todas as noites registar quanto durante o dia lhe acontece. Para a história ficam as memórias do aviador da RAF durante a II World War, Member of Parliament eleito em 1950 como representante de Bristol South East pelo Labour, alguém que renuncia ao título nobiliárquico em 1963 e força à revisão do Peerage Act para permanecer na House of Commons como procurador dos que não têm voz, até ao serviço nos governos de Mr Harold Wilson e Mr James Callaghan entre 1964 e 79. Em linha de coerência, sai de Westminster em 2001 para liderar a oposição no tocante à Irak War.

Someone totally different é Mrs Clarissa DW, também um peso pesado e idêntico gentle humour mas este pautado com nota de senseless. Celebriza-se ao viajar em side-car na série da BBC’ Two fat ladies e ainda hilariante ataque aos vegetarianos e intransigente combate pelo ginger bread, a onion soup ou a qualidade régia dos old cooking books. O desaparecimento da colega Mrs Jennifer Paterson não a retira de cena e procede a pública declaração de impostos ao torrar a £2.8million inheritance. Se com RH Anthony Wedgwood-Benn as situações terão acontecido exatamente como narra, já os episódios históricos da jolly lady decerto não poderiam como tal ter ocorrido. Porém, lógica exemplar: cabendo Paris numa garrafa com ifs and buts, o cozido só prova com ingredientes, medida e mão certa. Parte aos 66 anos de idade e o famossíssimo tea-drinker aos 88.

Em torno de uma Crimea que é igualmente parcela integral no imaginário de todos na república universal das letras, tal qual é o berço cristão na Rússia eslava, produz Mr William Hague assinalável statement face à anexação hoje proclamada pelo President Vladimir V. Putin no St. George’s Hall do Grand Kremlin Palace (Moscow). Para o Secretary of State for Foreign and Commonwealth Affairs, a crise na Ukraine é já um incontornável teste à paz europeia e segurança internacional. — I would not describe it as a new cold war, but that will depend on the course of events over the coming days.

 

St James, 18h March

 

Very sincerely yours,

 

V.