Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Blogue do Centro Nacional de Cultura

Um espaço de encontro e de diálogo, em defesa de uma cultura livre e pluridisciplinar. Estamos certos de que o Centro Nacional de Cultura continuará, como há sete décadas, a dizer que a cultura em Portugal vale a pena!

Blogue do Centro Nacional de Cultura

Um espaço de encontro e de diálogo, em defesa de uma cultura livre e pluridisciplinar. Estamos certos de que o Centro Nacional de Cultura continuará, como há sete décadas, a dizer que a cultura em Portugal vale a pena!

LONDON LETTERS

Her Majesty's Opposition goes to Washington, 2014

 

Há dias assim! As notícias sobre o resto do mundo suscitam instantâneo teletransporte para algo parecido ao Burundi. De Gaza à Syria ou ao Iraq, de Brussels à Crimea ou Sebastopol, o globo roda hoje a velocidades perigosas. Aí valem o assombroso green dos Royal Parks e um bom livro como refúgio de alma para Londoners. — Chérie, chassez le naturel et il revient au galop. HM Opposition está em Washington DC. À conversa de RH Ed Miliband com o US President Barack Obama comparece a House of Commons plastic bag com três títulos cinéfilos. Make some money but don’t let money make you! Britain retoma o papel de detetive e recebe as black boxes do MH17 a fim de desvendar o mistério do avião caído dos céus na Ukraine. O caso adensa-se, com as sanções aos Russians a ameaçar a economia europeia e a repor um teste reputacional à real politik que anima as chancelarias ocidentais.

First things always first! O Summertime abre a coisas agradabilíssimas e uma destas é o escantador Royal Greenwich Park, ali para os lados do Observatory de Charles II, paredes meias com o National Maritime Museum e o Old Naval College. Pelas semanas de Maio despontaram timídas roses, com as sunrise a atraírem a passarada exótica das redondezas, depois desabrocham o olhar as irises e as pink magnolias, agora deslumbra o suave violeta das hydrangeas. Com o Thames e os céus de London na tela, em dia do primeiro aniversário do Prince George of Cambridge, talvez seja mesmo um sorriso divino que aqui resida um meridiano que dita o universal aos time travellers. Já RH Ed Miliband atravessa o Atlantic para uma conversa na White House com o N.o 1 do Free World. Na ementa consta a desordem na economia, o motim internacional, a rebeldia climática e… The Scottish referendum.

O líder do Labour Party entra no Oval Office quando em Downing Street o Prime Minister troca Mr JC Juncker por um antigo KGB spy como seu inimigo retórico. O guião é linear: Mr Vladimir Vladimirovich Putin goes on trial in the court of public opinion. A série ainda está nos primeiros episódios. Numa das cenas ardem os milhões dos oligarcas russos que rumaram à City e ainda aos cofres dos Tories como generosas political donations. Três dramas políticos oferece Red Miliband ao Presidente Obama — as modelares versões GB de House of Cards, State of Play e The State Within. Imagino o contraponto de um US original e vem a opus magnum de Mr Frank Capra com um Mr Jimmy Stewart absolutamente fantástico: Mr Smith goes to Washington, ou o antídoto democrático para tempos onde “os public monuments are stolen."

Se a guerra é a continuação da política por outros meios, como ensina o General Carl von Clausewitz, erro há nos cálculos militares de israelitas e palestinianos. A mortandade irriga sazonalmente a faixa de Gaza sem que qualquer das partes alinhe solução para um conflito que deve à racionalidade sob o rude mandamento do dente por dente. Em débito face a séria matriz estatística está também a perda trágica em meses de um segundo avião de passageiros pela Malaysia Airlines. —Well, sometimes, imagination is more important than knowledge.

 

St James, 22nd July

 

Very sincerely yours,

 

V