Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Blogue do Centro Nacional de Cultura

Um espaço de encontro e de diálogo, em defesa de uma cultura livre e pluridisciplinar. Estamos certos de que o Centro Nacional de Cultura continuará, como há sete décadas, a dizer que a cultura em Portugal vale a pena!

Blogue do Centro Nacional de Cultura

Um espaço de encontro e de diálogo, em defesa de uma cultura livre e pluridisciplinar. Estamos certos de que o Centro Nacional de Cultura continuará, como há sete décadas, a dizer que a cultura em Portugal vale a pena!

LONDON LETTERS

Terror in Mesopotamia 1.JPG

Terror in Mesopotamia, 2015

Nos planaltos de Nineveh comete-se um assassínio com camartelos, berbequins e buldozers. Não mais com os doces traços do universo ficcional de Dame Agatha Christie, mas na ancestral land of rivers por onde anda nos anos 30 em archeological expedition com Sir Max Mallowan. 

Terror in Mesopotamia 2.JPG

Dessa viagem tanto resultam o exótico Murder in Mesopotamia e o clássico Twenty-five Years of Mesopotamian Discovery como o achamento de Ur e de artefatos datados entre 900 B.C. e 612 B.C. Para destruir tais tesouros e vestígios únicos do Assyrian Empire, os militantes do Isis dispensaram agora o particular crime style de Monsieur Hercule Poirot ou os detalhes de Nimrud and its Remains. À eternidade legam louca engenharia de demolição. — Chérie, a l'œuvre, on connaît l'artisan! A equipa inglesa de cricket oferece uma inesquecível vitória ao Bangladesh no Cricket World Cup. Na House of Commons questionam-se gestores do HSBC sobre o caso da evasão fiscal, com a chair do Public Accounts Committee a percorrer mapa complicado do Panama a Hong Kong quando traça o rasto de valores pagos ao Chief Exec Mr. Stuart Gulliver. — Hmm. Every one for himself and God for us all. Brussels apura as reformas helénicas. Monsieur JC Juncker quer erguer um exército europeu. O US President Obama revive Selma. 

Terror in Mesopotamia 3.JPG

Light rainy skies and gentle winds pela ilha. Em ambiente edilíco no countryside apercebo-me durante o fim-de-semana da velocidade a que hoje se folheiam os jornais sem que temas, títulos e fotografias apanhem para imediata leitura. Certo é o aprazível verde convidar para diversas ocupações, persistindo florida ameixeira do lugar em fascinar o olhar. Esta prunus domestica promete juicy and taste egg plums para breve. Além canal, porfia-se também noutros prodígios. O presidente M Jean-Claude Juncker quer um exército para persuadir o Kremlin a respeitar a European Union. Ora, com as atenções da Eurozone ainda centradas no novo governo grego, cujo rol de reformas é hoje debatido em Brussels, coloridos eventos dão suavemente à costa. Em Ireland, os bancos movem nova vaga de processos judiciais para retomar a propriedade de 7,000 casas com atrasos no pagamento das hipotecas. O Irish Times revela dados do Central Bank: 14,5% das 110 mil residências penhoradas estão em sérias dificuldades, com Dublin a temer “a homelessness and housing crisis.” E inquieta com a dinâmica da dívida está a Austria. Mesmo London extrai perturbante lição do 2007-08 financial crash. Em relatório parlamentar sobre perfis e capacidades para debelar nova crise, o Public Administration Select Committee conclui que não existe “a comprehensive understanding across Government of the future risks and challenges facing the UK.” 

Incisiva evolui igualmente a electoral campaign. Se no outro lado do Atlantic, os US vivificam os anos das marchas dos direitos humanos contra a black discrimination, por cá o Labour Party exige aos Tories que detalhem a proposta do Brexit referendum antes do dia das eleições gerais. Os Conservatives ignoram o repto. O mesmo, e olimpicamente, faz o Prime Minister Cameron quanto à ideia de comparecer em sucessivos debates com os demais líderes partidários. Haverá um só e com todos, ou nenhum. Sobre o mais, silèncio e singular chicken terminologia política. Faltam 58 dias para a big poll. No 2015 General Election tracker tudo igual: Labour – 34%; Conservatives – 33%; Ukip – 14%; Greens – 7%; e Lib Democrats – 7%.

Terror in Mesopotamia 4.JPG

Tormentosos são os números registados nas antípodas. England out of the Cricket World Cup. Ouch! O team que representa as cores do John Bull inglês e do Taffy galês perde por… 15 runs face aos Tigers do Bangladesh. Admito o desapontamento sem reservas. Necessito até que alguém explique o que ocorreu aos Lions hoje no Adelaide Oval. No final: Ban 275-7; En 260 all out. As perspetivas de passagem aos quartos de final da competição estavam diminuídas, dados os desaires perante Australia, New Zealand e Sri Lanka, mas um batting tão mau assim num must-win game! Mr Peter Moore dá agora nome a um negro wicket nos pleasant green fields. — Hmm! Well done, Tigers; and, ashes to ashes.

 

St James, 9th March

Very sincerely yours,

V