Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Blogue do Centro Nacional de Cultura

Um espaço de encontro e de diálogo, em defesa de uma cultura livre e pluridisciplinar. Estamos certos de que o Centro Nacional de Cultura continuará, como há sete décadas, a dizer que a cultura em Portugal vale a pena!

Blogue do Centro Nacional de Cultura

Um espaço de encontro e de diálogo, em defesa de uma cultura livre e pluridisciplinar. Estamos certos de que o Centro Nacional de Cultura continuará, como há sete décadas, a dizer que a cultura em Portugal vale a pena!

LONDON LETTERS

 

Westmorland and Lonsdale, May-June 2017

 

Totally fascinating. As clivagens partidárias já haviam por cá produzido um Labour politician with Tory values, mas agora chega a vez de uma Tory Prime Minister with some Labour values.

ll1.jpg

Esta é a perceção que os estudos de opinião recolheram junto do eleitorado sobre The Right Honourable Theresa May MP, na esteira da vitória dos conservadores nas eleições locais. A contraciclo político, o partido no poder desde 2010 ganha terreno a todas as oposições em England, Wales e até em Scotland. — Chérie. Aide-toi et le ciel t'aidera. A Brexit Britain indicia outras surpresas no apoio popular. Com o No. 10 a erguer a voz face a novas diatribes continentais e quási-devorado o Ukip pelo voto, eis a onda azul a avançar para as paragens nortenhas. Os Tories tanto sustêm o SNP, quanto avultam na remota Cumbria. Uma das circunscrições debaixo de olho do May-ism é Westmorland and Lonsdale, nenhuma outra senão a que elege o líder dos Liberal Democrats para Westminster: o arch-remainer RH Tim Farron. — Hmm. These days we never no! Yet.... Os sufrágios florescem também em Europe. France elege para o Palais de l’Élysée o neófito Monsieur Emmanuel Macron. Nos US e em Italy, o President Donald J Trump defronta o antagonismo do… Obama show e da cerveja Baracchini. Nas ilhas, o Prince William of Cambridge prepara-se para novas responsabilidades na vida pública. O HMS Somerset escolta um submarino russo detetado no English Channel.

 

ll2.jpg

Beautiful weather at London. Em vésperas dos 2017 BAFTA sagrarem a qualidade cinéfila de The Crown, série revelando alguns dos mysteries of the traditional norms of statecraft, amanhã é o recatado casal primoministerial que responde a questões de uma audiência plural em estúdio. A expetativa sobre a perfomance é tão maior quanto a PM recusa participar no usual Leader’s debate e opta por discreta campanha eleitoral, porta a porta, em vivo contraste com as ruadas e o espetáculo dos rivais, cuja sucessão diária de promessas apenas sublinha a estratégia presidencialista dos Tory. A June 8 ver-se-á dos resultados. Os últimos dias, porém, ficam marcados pelo anúncio real da reforma de Philip Mountbatten e o carinho publicamente manifestado pelos seus 70 anos de “loyal service to Britain and The Queen.” O príncipe consorte de Elizabeth II afasta-se este Autumn dos “public duties” assumidos em 1947. Mrs May sintetiza posições: “On the behalf of the whole country, I want to offer our deepest gratitude and good wishes to His Royal Highness the Duke of Edinburgh.”

 

Muito distinto é o tom usado pela senhora às portas do Ten face a Monsieur Jean-Claude Juncker. O European Commission President desgosta da ementa no “Brexit working dinner” que a PM lhe oferece em Downing Street e coloca o mais próximo dos seus colaboradores a brifar jornais alemães sobre o ali ocorrido, aliás, em termos pessoalíssimos que devem aos bons costumes. Ora, o que realmente aconteceu no jantar onde London recusa a €100bn divorce bill de Brussels depende do paladar de quem neste participa: para uns é uma conversa útil; para outros antes é um desastre… ter tal cozinheiro. Como a deselegância entre ainda-parceiros não bastara e atestando a mentalidade despeitada de infelizes separações, o ex-PM luxemburguês viaja a Firenze e comete crime capital contra a língua inglesa. Nas suas próprias palavras: “I will speak in French (…), because, slowly but surely, English is losing importance in Europe.” Irlandeses e malteses tremem. Já a RH Theresa May reage, antes de rumar ao Palace of Buckingham em dia de dissolução do Parliament: “Threats against Britain have been issued – deliberately timed to affect the election.” O Daily Mail logo resume a mensagem: “Hands off our election.” Vem aí… a huge blue  majority!

ll3.jpg

 

Se as forças aquém e além Channel esculpem, mais e mais, a 2017 snap patriotic election como “who negotiates the Brexit?,” apesar do interesse eleitoral do Labour de RH Jeremy Corbyn &co em maximizar a utilidade de Herr Karl Marx no futuro insular, a conquista do Élysée desagua no esperado President Emmanuel Macron. Os 65-35% no duelo contra Madame Marine Le Pen, escoltados por massiva abstenção e militante voto nulo, contrastam com um discurso da vitória que releva nada estar escrito na pedra. Evitado o perigo imediato do populismo, pois, os meios parisienses comentam agora que, eleito que está, o mais jovem político francês desde o Empereur Napoléon Ier (1769-1812) pode finalmente revelar qual o seu programa e a equipa para governar. Os desafios são imensos, e em muito respeitam à European Union. Nascido nas terras do bloody Somme, o ex-ministro e protégè de M François Hollande é um fervoroso eurófilo que gosta de viajar até London para assistir a uma noturna peça de teatro na língua universal de Shakespeare. Mas eis extraordinário 1st statement do dirigente do novíssimo On marche, após 10 minutos ao telefone com a Bundeskanzlerin Angela Merkel e as warm congratulations da UK Prime Minister. É a noite do triunfo. A imagem parece saída do The Da Vinci Code. Não vemos Mr Tom Hanks, mas o protagonista é ainda energético e telegénico. A câmara segue-lhe os passos, na penumbra, com as pirâmides do Louvre em fundo e as cordas da Ode to Joy. Exato, o EU anthem! A 14 May jurará ele à desnudada Marianne de la Republique. So, best of luck. Seguro é que, depois do Trump circus, o 39 years’ old promete fazer as delícias de quantos apreciam o Planet Rothschild. — Well. Consider Master Will and ours thoughtful Jaques in As you like it: — “All the world's a stage, / And all the men and women merely players; / They have their exits and their entrances, / And one man in his time plays many parts. / His acts being seven ages."

 

 

St James, 8th May 2017

Very sincerely yours,

V.