Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Blogue do Centro Nacional de Cultura

Um espaço de encontro e de diálogo, em defesa de uma cultura livre e pluridisciplinar. Estamos certos de que o Centro Nacional de Cultura continuará, como há sete décadas, a dizer que a cultura em Portugal vale a pena!

Blogue do Centro Nacional de Cultura

Um espaço de encontro e de diálogo, em defesa de uma cultura livre e pluridisciplinar. Estamos certos de que o Centro Nacional de Cultura continuará, como há sete décadas, a dizer que a cultura em Portugal vale a pena!

POSTAL SEGUNDO

 

Querido amigo:

Demorei a responder-lhe pois estava na Índia, mas entenda que esse facto não me levou a esquecer a sua carta. A sua carta a Saramago foi para mim um telefonema para a terra e não para o céu. Uma intimidade espiritual de si para si, eterna, no escutar-se e no dialogar-se. Foi também uma mão aberta de silêncios do existir, no qual o mergulho é feito por agua e fogo interpelando a vida acordada. A eternidade que refere nesta sua carta, é para mim uma tentativa de unir o ser dividido que somos, e dar-lhe todo o tempo que só a morte interrompe.

Todo o seu tempo fora de Portugal é também parente da intensidade a favor de uma existência, afinal nunca descuidada, e de uma tranquilidade que sempre lhe regressa quando quer. Este, talvez este, o seu futuro e o de tudo o que lhe vai sendo único.

Talvez esta a mensagem de um passageiro requerente da vida. 

Aceite um abraço solidário,

Teresa Bracinha Vieira