Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Blogue do Centro Nacional de Cultura

Um espaço de encontro e de diálogo, em defesa de uma cultura livre e pluridisciplinar. Estamos certos de que o Centro Nacional de Cultura continuará, como há sete décadas, a dizer que a cultura em Portugal vale a pena!

Blogue do Centro Nacional de Cultura

Um espaço de encontro e de diálogo, em defesa de uma cultura livre e pluridisciplinar. Estamos certos de que o Centro Nacional de Cultura continuará, como há sete décadas, a dizer que a cultura em Portugal vale a pena!

Curso Livre de Desenho - Figura Humana



 Torso, Daniel Peres (Desenho IV, 2008) 

Curso Livre de Desenho na Faculdade de Belas Artes da Universidade de Lisboa, durante o ano lectivo 2008-2009, em horário pós-laboral, 2ª e 4ª das 18h00 às 20h00. Estrutura do Curso:  a composição do curso consiste em três módulos que coincidem com os tradicionais períodos lectivos. Estes módulos são sequenciais mas não necessariamente precedentes. Os alunos podem inscrever-se no módulo que desejarem sem terem frequentado o anterior, através de apreciação do portfólio. No final de cada módulo será passado um diploma de participação.

 

Para continuar a ler clique aqui

“CARVÕES DA VIDA”

 

A exposição de Ricardo Paula reúne obras que estiveram presentes em mostras individuais e colectivas ao longo dos vinte e cinco anos da carreira de Ricardo Paula. Patente de 24 de Julho a 21 de Setembro na Galeria Torreão Nascente em Lisboa.

 

Para continuar a ler clique aqui

A VIDA DOS LIVROS, por Guilherme d' Oliveira Martins

(de 18 a 24 de Agosto de 2008)


A publicação do primeiro volume das “Obras Completas” de Manuel Teixeira-Gomes (INCM, 2007) constitui um acto de serviço público que deve ser assinalado e saudado. Trata-se de uma iniciativa levada a cabo com os cuidados necessários da Imprensa Nacional, com prefácio de Urbano Tavares Rodrigues (o melhor conhecedor do autor e da sua obra) e notas deste e de Helena Carvalhão Buescu e Vítor Wladimiro Ferreira. Estamos perante uma edição de referência (que retoma e aprimora as últimas edições disponíveis) que deverá ter lugar obrigatório na rede de leitura pública e nas bibliotecas escolares. Como afirma Tavares Rodrigues: Teixeira-Gomes, “mergulhando no naturalismo e no decadentismo, recupera, ao mesmo tempo, as graças verbais de um Frei Manuel Bernardes, de um D. Francisco Manuel de Melo, e a elegância de Garrett, o domínio da língua de um Camilo Castelo Branco”. Este primeiro volume reúne “Inventário de Junho” (1899), “Cartas sem Moral Nenhuma” (1903) e “Agosto Azul” (1904).

 

Para continuar a ler clique aqui