Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Blogue do Centro Nacional de Cultura

Um espaço de encontro e de diálogo, em defesa de uma cultura livre e pluridisciplinar. Estamos certos de que o Centro Nacional de Cultura continuará, como há sete décadas, a dizer que a cultura em Portugal vale a pena!

Blogue do Centro Nacional de Cultura

Um espaço de encontro e de diálogo, em defesa de uma cultura livre e pluridisciplinar. Estamos certos de que o Centro Nacional de Cultura continuará, como há sete décadas, a dizer que a cultura em Portugal vale a pena!

"DENTRO DAS COISAS"

 Exposição de pintura de Miguel Telles da Gama, patente ao público de 15 de Novembro a 31 de Dezembro, no Centro de Artes de Sines.

de 15 de Novembro a 31 de Dezembro
Centro de Artes de Sines

  

O Centro de Artes de Sines inaugura, dia 15 de Novembro, às 18h30, a exposição de pintura de "Dentro das Coisas", de Miguel Telles da Gama. A exposição está patente até 31 de Dezembro, todos os dias, entre as 14h00 e as 20h00. A entrada é livre.
O pintor Miguel Telles da Gama, nascido em 1965 em Lisboa, cidade onde vive a trabalha, tem traçado um percurso na pintura portuguesa das últimas duas décadas.

Já com 21 exposições individuais realizadas e a participação em mais de 35 exposições colectivas, apresenta-se em Sines com uma exposição realizada através de uma parceria entre a Câmara Municipal de Sines e a Galeria 111.

“Do interior de casas e objectos às carapaças de insectos e do homem, tudo se procura desmontar (ou montar) num trabalho, mais do que de arqueólogo, de engenharia que assim põe a descoberto as maquinarias do mundo. São presumíveis as citações de almanaques orientadores dos diversos ofícios, de manuais de botânica e entomologia pelos muitos cortes histológicos de insectos feitos, pela presença da sua sombra ou pelo traçado do seu perfil. …São também visíveis algumas das preocupações que, ao longo das últimas exposições, têm também atravessado os trabalhos do artista. Por um lado a extrema sensibilidade para com as questões relacionadas com a expressão das mais íntimas pulsões do homem (como a sexualidade, o desejo ou a morte) e, por outro o seu enquadramento num discurso de evocação historicista que à memória traz quer o universo de Brueghel ou Bosch como todo um conjunto de referências icónicas da cultura contemporânea.” (Ana Ruivo, 2004)

Mais informações

www.centrodeartesdesines.com.pt

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.