Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Blogue do Centro Nacional de Cultura

Um espaço de encontro e de diálogo, em defesa de uma cultura livre e pluridisciplinar. Estamos certos de que o Centro Nacional de Cultura continuará, como há sete décadas, a dizer que a cultura em Portugal vale a pena!

Blogue do Centro Nacional de Cultura

Um espaço de encontro e de diálogo, em defesa de uma cultura livre e pluridisciplinar. Estamos certos de que o Centro Nacional de Cultura continuará, como há sete décadas, a dizer que a cultura em Portugal vale a pena!

A VIDA DOS LIVROS, por Guilherme d' Oliveira Martins

(de 14 a 2 de Julho de 2008)


A Oposição Católica ao Estado Novo – 1958-1974” de João Miguel Almeida (Edições Nelson de Matos, 2008) é um repositório de grande interesse sobre uma das componentes fundamentais (a político-religiosa) do fim do regime anterior. Como dizia há dias, no debate sobre o livro que teve lugar no CNC, sob organização do Centro de Reflexão Cristã, o Arquitecto Nuno Teotónio Pereira, se é verdade que não podemos esquecer os opositores de sempre, o certo é que o surgimento de uma oposição católica nos anos cinquenta alterou de modo significativo o estado de coisas político do momento. A “frente nacional” em que se baseava o Estado Novo precisava do apoio claro quer das Forças Armadas quer da Igreja. E em 1958 (há cinquenta anos!) o que aconteceu foi que surgiram duas brechas de tomo nessas duas instituições, que começaram a pôr em causa as bases do salazarismo – por um lado a candidatura de Humberto Delgado e por outro a chamada carta (ou “pro memoria”) do Bispo do Porto ao Presidente do Conselho.

 

Para continuar a ler clique aqui


Esta sugestão de Guilherme d'Oliveira Martins na Renascença