Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Blogue do Centro Nacional de Cultura

Um espaço de encontro e de diálogo, em defesa de uma cultura livre e pluridisciplinar. Estamos certos de que o Centro Nacional de Cultura continuará, como há sete décadas, a dizer que a cultura em Portugal vale a pena!

Blogue do Centro Nacional de Cultura

Um espaço de encontro e de diálogo, em defesa de uma cultura livre e pluridisciplinar. Estamos certos de que o Centro Nacional de Cultura continuará, como há sete décadas, a dizer que a cultura em Portugal vale a pena!

LONDON LETTERS


The John Lewis list
, 2014

 

 

Um articulista equipara tais momentos na Westminster bubble a um daqueles snowglobes que conheceis com pitada de horror ao inútil. Não servem para apurar nada ou resolver coisa alguma. Agita-se, há uma artificial queda de neve e depois volta tudo à quietude de reino pacífico. Já boa parcela condensa estes casos no champagne lifestyle na eterna passagem pela euforia no ciclo político. — Chérie, les gens font toujours le loup plus redoutable que lui! Um membro do governo é questionado sobre o teor das despesas apresentadas como parlamentar eleito e coagido a repor £5,800 pagas pelo contribuinte, indevidamente assalariadas e por isso ainda também compelido a apresentar desculpas na House of Commons. O governante em causa faz uma meteórica 32-second apology. O Prime Minister encerra o revés.  —Humm. Islands in the clouds! A controvérsia preenche a nuvem mediática há dias, denotando nada senão a dificuldade de extrair conclusões aquando da tomada de conta face à john lewis list. Teme-se até que a atual auditoria pela IPSA menos valha que o velhinho rol de armazém fino. Para uns quantos, como sempre, mas mais cara, a vegetarian cookbook for carnivores.

Belos estão os dias em privilégio meteorológico: solares e frescos. As plantas e os autóctones agradecem. Na House of Commons anda também o negócio animado. Em novo episódio de abuso nas MPs’ expenses e seco pedido de desculpas à câmara, aliás: algo a louvar no Hansard porque conciso e preciso, sobem os pedidos do género red queen em torno da Culture Secretary, Mrs Maria Frances Miller. — Cortem-lhe a cabeça, clamam em uníssono jornais da manhã e vozes das fileiras conservadoras. A lacónica MP por Basingstoke tem apoio do Prime Minister, mas Mr David Cameron não sacia o desejo de sangue nos Tory green backbenchers a braços com o ascenso do UKIP. Já o caso, em si, expõe o problemático e privado sistema de compras em Westminster, com tendência a agravar se inconsequente e não somente a envergonhar elementos desaforados de todos os partidos.

A razoabilidade das faturas apresentadas a ressarço era usualmente feita por comparação com preçário de famigerados armazéns: os John Lewis. O 2008 MPs’ expenses scandal trouxe reforma e avaliação pela IPSA – Independent Parliamentary Standards Authority. Por bizarro que fosse o antigo método, o ruído em torno do caso de Mrs Miller revela fragilidades no 2009 Act. Afinal, ao invés do passado, o abuso não conduz já a demissão ou despedimento sob forte sanção pública. Ora, o historial destas contas parlamentares revela que a velha régua possuía vantagens. A JLL mostrava intuitivamente o quão desadequado é debitar ao erário público aposentos em London mais sete second-homes dispersas pelo countryside, tal qual quão sovina é solicitar restituição por itens como um limão (23 pences) ou uma colher de pau (26p) e ainda quão inteligente é requerimento para reembolsar uma libra entregue para caridade. São exemplos reais, aos quais o eleitorado tirava medidas. Agora não é assim. Pior: para a computação importava o Member of Parliament tropeçar na regalia da numerária e não que confiasse em apoio de aliados no crime way up.

As fronteiras jurídicas e morais são assunto sério. Em viagem ao UK vem o President of Ireland. As relações com a green, three-leafed & wild flower evoluem em sereníssimo processo político com a mestria de HRM Elisabeth e do Duke of Edinburgh. Mr. Michael D. e Mrs Sabina Higgins avistam o Prince of Wales e Duchess of Cornwall na Irish Embassy a abrir ceremonial welcome, após saudados no Heathrow Airport pelo Lord-in-Waiting, Viscount Hood. Algo impensável há uma década atrás. Acolhidos no Royal Borough com a carriage procession e um State banquet no Windsor Castle, o casal presidencial visita ainda o palácio e a abadia em Westminster. Aqui discursa o líder irlandês para uma assembleia conjunta de ambas as câmaras em painel histórico. — Indeed, good memories are our second chance at happiness.

 

St James, 8th April

 

Very sincerely yours,

 

V.

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.