Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Blogue do Centro Nacional de Cultura

Um espaço de encontro e de diálogo, em defesa de uma cultura livre e pluridisciplinar. Estamos certos de que o Centro Nacional de Cultura continuará, como há sete décadas, a dizer que a cultura em Portugal vale a pena!

Blogue do Centro Nacional de Cultura

Um espaço de encontro e de diálogo, em defesa de uma cultura livre e pluridisciplinar. Estamos certos de que o Centro Nacional de Cultura continuará, como há sete décadas, a dizer que a cultura em Portugal vale a pena!

LONDON LETTERS

 

The chemical Inspectors, A old Deal and, A new Tsar, 2018

 

Inspetores da Hague a chegar e diplomatas da Russian Federation a partir! A roda-viva em torno da tentativa de assassinato dos Skirpals em Salisbury continua em crescendo, com London a internacionalizar o caso de envenenamento do agente duplo e Moscow a exigir evidências ou... desculpas. — Chérie! Les actions en disent plus que les mots.

Em Brussels é o anúncio do acordo entre o United Kingdom e a European Union sobre o período de implementação da Brexit. Além do cheque de £40b, há uma mão cheia de novas concessões do reino para manter o acesso ao mercado único. — Umm. Appearances are deceptive. Russia reelege o President Vladimir Putin com 77% de votos. Germany saúda o antigo agente do KGB em Dresden (DDR) enquanto Frau Angela Merkel assume o quarto mandato como Bundeskanzlerin. Washington prepara pacote de sanções contra o Kremlin por cyber interference na 2016 Election, Mr Ringo Starr recebe a knighthood em Buckingham Palace. Her Majesty in Council consente no matrimónio do Prince Harry of Wales com Rachel Meghan Markle. Para a eternidade parte o fabuloso e único Professor Stephen Hawking. No cosmo eleitoral aparece a Cambridge Analytica, “a British political campaigns firm” que terá persuadido milhões com a manipulação privada do Facebook. Monsieur Nicolas Sarkozy é detido em Paris por fraude partidária financeira.

 

Desesperately cold weather at Great London, with around zero temperatures. É ainda o frio glacial vindo da Northern Asian’ Siberia. O termómetro sobe em Brussels, com a all smiles dupla David Davis e Michel Barnier a revelar o clausulado do pre-Brexit deal. São 130 páginas de “common provisions,” abarcando 13 key areas sob burocratizado título Draft Agreement on the withdrawal of the United Kingdom of Great Britain and Northern Ireland from the European Union and the European Atomic Energy Community highlighting the progress made (coloured version) in the negotiation round with the UK of 16-19 March 2018. A leitura oficial de Downing Street classifica o acordo como "a significant step" nas euronegociações, mas as novas cedências britânicas ameaçam os Tories com feia guerra civil tanto no que está assente como no que não está. Na bissetriz, eis o fundamental do old new deal entre o EU's chief negotiator e o Brexit Secretary: (1) a fase de transição estende-se de 29 March 2019 a 31 December 2020; (2) os cidadãos europeus que neste período cheguem ao reino mantêm todos os direitos e garantias hoje existentes, à semelhança dos Brits expats no continente; (3) o UK assegura a capacidade de negociar e assinar acordos comerciais próprios; (4) a par da pertença aos atuais “EU trade deals with other countries”; (5) as quotas pesqueiras britânicas permanecem intactas sob condição da permanência flexível na Common Fisheries Policy; (6) Northern Ireland ficará em “parts of the single market and the customs union in the absence of other solutions to avoid a hard border with the Republic of Ireland”; (7) garante-se soberania pacífica em Gibraltar e outros domínios. Convenhamos que a tela faz jus à sageza do Prince of Lampedusa e às pintas nos sapatos de Mrs Theresa May. Meanwhile, os hard-liners do Ukip enfrentam a bancarrota após uma sentença judicial lhes apresentar uma fatura de £175,000, num processo envolvendo alegações feitas por uma sua MEP contra três Labour MPs durante a campanha eleitoral de 2015.

 

 

A praça pública mantém-se focalizada em Salisbury, porém, with a lot of talk about Cold War 2.0. A um tempo, é o súbito avultar de popularidade da Prime Minister com a sua pronta resposta ao caso dos Skirpals em contraponto com a nuvem descida sobre a cabeça do Leader of Her Majesty's Most Loyal Opposition ‒ dado o frouxo alinhamento com o No. 10 de RH Jeremy Corbyn, na House of Commons, em matéria de segurança nacional que o Foreign Secretary RH Boris Johnson diz saída dos livros da classical Russian strategy. A outro tempo, é a série das tit-for-tat diplomatic expulsions, com Moscow a afastar do país igual número de Brits aos que London retira da sua embaixada em Holland Park. A outro tempo ainda, é a internacionalização do incidente com a solidariedade ativa para com o UK dos aliados da OTAN e da EU mais a condenação do Putin’s regime no ONU Security Council e o envolvimento de Hague com a Organisation for the Prohibition of Chemical Weapons. Confrontação West-East, pois, pura e dura, taking politically risky steps among uncertain benefits, nos interstícios da apoteose moscovita ao new old Tsar.

 

Uma boa notícia para fecho, na melhor das reais tradições. The Queen Elizabeth II acaba de aprovar uma esperada boda na House of Windsor. O ato oficial segue ancestrais pergaminhos. “Her Majesty in Council” lavra a Declaration “at the Court at Buckingham Palace,” a 14 March: "I declare My Consent to a Contract of Matrimony between My Most Dearly Beloved Grandson Prince Henry Charles Albert David of Wales and Rachel Meghan Markle, wich Consent I am causing to be signified under the Great Seal and to be entered in the Books of the Privy Council."  — Well. As our Master Will firmly observes in Henry VI: — “Marriage is a matter of more worth / Than to be dealt in by attorneyship."

 

St James, 19th March 2018

Very sincerely yours,

V.