Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Blogue do Centro Nacional de Cultura

Um espaço de encontro e de diálogo, em defesa de uma cultura livre e pluridisciplinar. Estamos certos de que o Centro Nacional de Cultura continuará, como há sete décadas, a dizer que a cultura em Portugal vale a pena!

Blogue do Centro Nacional de Cultura

Um espaço de encontro e de diálogo, em defesa de uma cultura livre e pluridisciplinar. Estamos certos de que o Centro Nacional de Cultura continuará, como há sete décadas, a dizer que a cultura em Portugal vale a pena!

NEMÉSIO, SEM LIMITE DE IDADE…

CNC Diário de Agosto _ dia 30.jpg

 

DIÁRIO DE AGOSTO (XXX) - 30 de agosto de 2017

 

Vitorino Nemésio é uma das figuras mais interessantes da cultura da língua portuguesa do último século.

Autor de um romance capital, como «Mau Tempo no Canal», foi o grande investigador da Mocidade de Herculano e de tantos temas luso-brasileiros, o ensaísta da cultura da língua pelo mundo repartida, o cronista inspiradíssimo e o inesperado poeta, com uma verve inesgotável…

E se falo de inesperado poeta é porque a sua escrita revela-nos quase que uma outra personalidade - um autêntico heterónimo, em que, apesar da idade, há uma juventude límpida que se foi manifestando independentemente da idade…

Dir-se-ia que a grande riqueza do mestre está na capacidade de voar pelo mundo da vida, sem preconceito e com verdadeira intuição criadora. E, como não poderíamos deixar de o referir nesta série de Agosto, eis um dos seus belos poemas, publicado em «O Verbo e a Morte»:


     A tempo entrei no tempo,
     Sem tempo dele sairei:
     Homem moderno,
     Antigo serei.
     Evito o inferno
     Contra tempo, eterno
     À paz que visei.
     Com mais tempo
     Terei tempo:
     No fim dos tempos serei
     Como quem se salva a tempo.
     E, entretanto, durei.

 

 

 

 

 

DIÁRIO DE AGOSTO
por Guilherme d'Oliveira Martins