Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Blogue do Centro Nacional de Cultura

Um espaço de encontro e de diálogo, em defesa de uma cultura livre e pluridisciplinar. Estamos certos de que o Centro Nacional de Cultura continuará, como há sete décadas, a dizer que a cultura em Portugal vale a pena!

Blogue do Centro Nacional de Cultura

Um espaço de encontro e de diálogo, em defesa de uma cultura livre e pluridisciplinar. Estamos certos de que o Centro Nacional de Cultura continuará, como há sete décadas, a dizer que a cultura em Portugal vale a pena!

POEMS FROM THE PORTUGUESE

POEMA DE DANIEL JONAS 

  


Dente-de-Leão


A juba encanecida do dente-de-leão.
Eu soprei-a como velas
de aniversários
e ele envelheceu anos.
Ali, tão calvo agora, o ancião,
um leão glabro
entupido de testosterona,
um Sanção
com a sua cerviz rente
descravando
dos quadris da fêmea
a fome de uma semente.


in Passageiro Frequente, 2013


Dandelion


A ring of birthday candles,
I blew
the dandelion’s hoary mane
and how much older he grew.
There he is now, an old
bald smooth lion
clogged with testosterone,
a Samson
with a shaven neck
unloosing
from female hips
the hunger of seed.


© Translated by Ana Hudson with Gabriel Gbadamosi, 2014
in Poems from the Portuguese