Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Blogue do Centro Nacional de Cultura

Um espaço de encontro e de diálogo, em defesa de uma cultura livre e pluridisciplinar. Estamos certos de que o Centro Nacional de Cultura continuará, como há sete décadas, a dizer que a cultura em Portugal vale a pena!

Blogue do Centro Nacional de Cultura

Um espaço de encontro e de diálogo, em defesa de uma cultura livre e pluridisciplinar. Estamos certos de que o Centro Nacional de Cultura continuará, como há sete décadas, a dizer que a cultura em Portugal vale a pena!

POEMS FROM THE PORTUGUESE

POEMA DE RUI PIRES CABRAL 

  


Super-realidade


estranho à franqueza dos teus modos, baço
para os teus sentidos.

Parávamos o carro num beco qualquer,
queimávamos o rastilho das palavras
até ao deserto onde dávamos as mãos.

Lá fora, a realidade era o espaço inteiro
deitado nos vidros, o mundo caído
para dentro do silêncio.

Gastávamos depressa o tempo, perdidos
no nosso único mapa,
nenhum sinal de mudança no regresso a casa.


in A Super-Realidade, 2011


Super-reality


foreign to your forthright manner, dull
for your senses.

Stopping the car in some dead end place,
we’d burn the words’ fuse
till reaching the desert where we held hands.

Outside, reality was the entire space
spread on the windows, the world
plummeting into silence.

Time was spent very fast, as we got lost
in our only map,
no sign of change on the way back.


© Translated by Ana Hudson, 2011
in Poems from the Portuguese